Pesquisa

Há consenso entre os cientistas de que os alimentos com probióticos são compostos de um número suficiente de microrganismos vivos capazes de sobreviver ao trânsito gastrointestinal e chegar em grande quantidade ao intestino, onde exercem um efeito protetor no corpo humano. Os probióticos auxiliam na diminuição dos riscos de doenças, em especial as infecciosas, porque controlam o crescimento das bactérias nocivas e promovem a estabilização do ambiente intestinal.

No Instituto Central Yakult, no Japão, já foram desenvolvidos estudos para investigar a microbiota intestinal com objetivo de avaliar o relacionamento com o corpo humano.

1. O consumo de Yakult aumenta os microrganismos que fazem
bem e diminui os que fazem mal ao organismo

Pela ação do ácido lático produzido pelos Lactobacillus casei Shirota, o ambiente intestinal se torna levemente ácido. Isso dificulta o desenvolvimento das bactérias nocivas e favorece o crescimento dos microrganismos benéficos.

Bifidobactérias (Microrganismos Benéficos)

Nº de microrganismos vivos/g de fezes


O gráfico mostra a contagem das bifidobactérias como representante das benéficas antes e após a ingestão dos Lactobacillus casei Shirota.

Antes da ingestão obteve-se a contagem de 5 bilhões, mas depois da ingestão, essa contagem mais do que dobrou, passando para mais de 10 bilhões de bifidobactérias. (Tanaka, 1996)

Coliformes (Bactérias Nocivas)

Nº de microrganismos vivos/g de fezes


O outro gráfico mostra a contagem das bactérias nocivas, representadas aqui pelos coliformes.

No período em que não se ingeriu o lactobacilo da Yakult, o número de bactérias nocivas era de 50 milhões. Comparado com o período em que se ingeriu o lactobacilo da Yakult, a contagem baixou para 10 milhões (Tanaka, 1996).

1.1 Diminuição da concentração de substâncias tóxicas e melhora do ambiente intestinal

Níveis de Indican na urina


O Indican é um metabólito indicador da presença de Indol, que é a toxina produzida pelas bactérias nocivas através da degradação de proteínas.

O gráfico mostra o resultado da pesquisa na qual os voluntários, após consumirem o leite fermentado contendo o lactobacilo da Yakult, apresentaram níveis de Indican 30% menor se comparado ao nível anterior, ou seja, diminuiu a quantidade de toxina liberada pelas bactérias nocivas.

Níveis de P-cresol na urina


O P-Cresol é outro tipo de metabólito produzido pelas bactérias nocivas e que pode dar origem a substâncias cancerígenas no organismo.
Os testes em voluntários mostraram que os níveis de P-Cresol caiu 1/3 do valor inicial. (Tohyama, 1981).

2. Estímulo das células de defesa do organismo

Sabe-se que a atividade das células NK em fumantes, uma das principais células de defesa do organismo, é relativamente baixa.

Foi realizada a seguinte experiência: a um grupo de fumantes foi solicitado consumir 1 frasco de Leite Fermentado com Lactobacillus casei Shirota todos os dias, durante 3 semanas seguidas. A outro grupo foi pedido consumir um placebo (produto idêntico em aspecto e sabor, mas sem o lactobacilo).

Os pesquisadores mediram as atividades das células NK antes e depois de cada um dos voluntários dos 2 grupos.

Comparando-se os resultados antes e depois do grupo que ingeriu o placebo, foi verificado que houve uma recuperação de 43% nas atividades das células NK.

No grupo que ingeriu o Leite Fermentado com Lactobacillus casei Shirota todos os dias durante 3 semanas, foi observado que houve uma recuperação de 66% nas atividades das células NK.

Porcentagem de fumantes que recuperam a atividade das células NK

3. Outras pesquisas

Entre os inúmeros benefícios atribuídos ao uso de probióticos está a diminuição de toxinas que favorecem o aparecimento de câncer no cólon, o que pode significar uma importante proteção para evitar o desenvolvimento da doença. Além disso, estudos comprovam que a ação desses microrganismos vivos diminui principalmente a frequência e a duração de diarreia associada ao uso de antibióticos, auxilia a estimular a imunidade, melhora a digestão da lactose e a constipação e os sintomas da síndrome do cólon irritável. Por estes e outros motivos, as pesquisas com os Lactobacillus casei Shirota continuam amplamente desenvolvidas no Japão e em outros países, para que o mundo todo possa usufruir o que o médico Minoru Shirota acreditava: “o intestino sadio conduz à longevidade”.

Para maiores informações sobre estes e outros estudos acesse a área do Portal Científico, clique aqui.