O consumo de alimentos com probióticos, por exemplo os leites fermentados com probióticos, resulta em efeitos benéficos sobre a população de microrganismos presentes nos intestinos.

Estimulam a eliminação das substâncias tóxicas.
Estimulam a absorção de nutrientes.
Regularizam a saúde intestinal, melhorando os estados de constipação ou diarreia.

Microbiota
Instestinal

A importância da microbiota intestinal para a manutenção da saúde foi comprovada no fim do século 19, quando pesquisadores verificaram que havia diferença entre a microbiota residente nos intestinos de pessoas saudáveis e doentes.

Cientistas estudam, em várias partes do mundo, a ação de microrganismos probióticos que, ao serem ingeridos, ultrapassam a barreira do sistema digestório e chegam vivos aos intestinos, para evitar que a microbiota sofra o ataque de bactérias nocivas.

Fotos em microscópio
eletrônico de
microrganismos
intestinais

A microbiota intestinal é composta por cerca de 100 trilhões de bactérias, com média de 1000 variedades, que participam da digestão, absorção e síntese de vitaminas. Estudos clínicos demonstram que os probióticos, além de ajudar nesses processos, também contribuem com o aumento da resistência imunológica do organismo e protegem contra inúmeras doenças, inclusive alguns tipos de câncer.

Em condições saudáveis, existe um equilíbrio entre todos os microrganismos no intestino, onde as bactérias benéficas estão em maior quantidade.

Alguns fatores de risco podem desfazer esse equilíbrio, como estresse constante, alimentação desequilibrada, medicamentos (principalmente antibióticos), contato com infecção bacteriana, consumo exagerado de álcool e cigarro, mudanças no clima e, um fator inevitável para todos nós, o avançar da idade. Com o passar dos anos, a microbiota intestinal se altera e a quantidade de microrganismos benéficos diminui, enquanto a de nocivos aumenta. Assim, o período de recuperação em caso de doença em idosos é maior do que em jovens.

Fatores que
podem desequilibrar
a microbiota intestinal

Alimentação
Desequilibrada

Álcool

Fumo

Infecção
Bacteriana

Medicamentos
(antibióticos)

Estresse e
Fadiga

Idade

O que são
Lactobacilos?

Falar sobre lactobacilos parece algo muito complexo, pois é difícil imaginar o que não pode ser visto a olho nu. Para se ter uma ideia do seu tamanho visualize 1 milímetro em uma régua. 1 milímetro dividido por 1000 é o tamanho dos lactobacilos da Yakult : 1µ= 1 mícron = 10-6 m.

Devido a sua forma de bastonetes são chamados de “bacilos” e por transformarem através da fermentação o açúcar do leite (lactose) em ácido láctico, são chamados de lactobacilos.

Existem diferentes tipos de lactobacilos que são utilizados na fabricação de iogurtes, coalhadas, queijos, entre outros, com a finalidade de conferir diversos sabores, texturas e aromas após a fermentação.

O ácido láctico é responsável por acidificar o meio intestinal, favorecendo o aumento dos microrganismos benéficos.

Lactobacillus casei Shirota

O Lactobacillus casei Shirota é um microrganismo selecionado, capaz de atravessar a acidez do estômago, chegar vivo aos intestinos e proporcionar o equilíbrio das funções intestinais através da produção do ácido láctico. O meio ácido favorece o aumento dos microrganismos benéficos que auxiliam na redução dos riscos de doenças. Esse lactobacilo probiótico exclusivo da Yakult é encontrado nos leites fermentados e na sobremesa láctea fermentada Sofyl.